PUBLICIDADE
chiquinho
chiquinho

Autópsia confirma que Tabata foi estuprada e morta por asfixia

PUBLICADO DIA: 28/09/2017
POR: Portal Goioerê
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someoneShare on LinkedIn

A autópsia realizada no Instituto Médico Legal (IML) de Maringá confirmou a suspeita de que Tabata Fabiana Crespilho Rosa, 6, foi estuprada. O parecer preliminar indica asfixia como causa da morte.
O resultado foi informado à imprensa pelo delegado Fernando Ernandes Martins. Exames complementares tendem a comprovar a conjunção carnal. O material coletado será comparado com o DNA do suspeito, Eduardo Leonildo da Silva, 30, que foi transferido após a prisão.
O corpo de Tabata foi enterrado em uma estrada rural na saída para Xambrê. Não foi possível realizar a necropsia no IML de Umuarama por conta da depredação da véspera.

Centenas fazem fila para homenagear a menina Tabata

 

 

Família, amigos e muita gente estarrecida com o bárbaro acontecimento se despedem, nesta quinta-feira (28), da menina Tabata Fabiana Crespilho Rosa, 6. O corpo chegou em um caixão lacrado, por volta das 17h, à sede da igreja Pentecostal dos Milagres, na rua Bahia (área central).


A sede da congregação está lotada e diversas pessoas estão em frente ao local. Por conta do fluxo, a rua foi interditada.
Um certo tumulto foi registrado no início. Policiais militares, guardas municipais e integrantes da igreja decidiram então fazer um cordão de isolamento para organizar melhor a visitação.
Por volta das 18h o corpo foi transladado.
A família decidiu que o corpo será sepultado em Balneário Camboriú (Santa Catarina), onde mora o pai de Tabata. A garota foi encontrada morta em um matagal na saída para Xambrê após ficar desaparecida por quase dois dias. O suspeito do crime, Eduardo Leonildo da Silva, era conhecido da família e foi transferido para um presídio da região após ser preso.

Colaboração ( Obemdito)

PUBLICIDADE
© COPYRIGHT 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - Portal Goioerê